Aproveitar os seus próprios erros para propaganda

Hoje saiu a notícia que há cerca de 570 milhões de euros de dívida à segurança social de prestações sociais pagas indevidamente. Essa notícia passa como se os devedores fossem uns aproveitadores que receberam prestações indevidamente e ficaram calados a ver se passava. Na TV dizia-se que a maior parte dessas prestações foram de subsídio de desemprego, na situação em que o desempregado consegue um emprego e continua a receber subsídio.

Quem não conhece como funciona o sistema de subsídio de desemprego ainda pode pensar que é aproveitamento por parte do cidadão. Não é verdade, pelo menos não será em muitos e muitos dos casos. O que se passa na realidade é o seguinte:

O desempregado arranja emprego, e notifica o centro de emprego. Em seguida notifica a segurança social ou então a entidade empregadora ao inscrever o trabalhador na segurança social, ficando assim esse organismo informado que o desempregado já não o é. O subsídio é então suspenso, mas o subsídio desse mês é pago na mesma. Por razões burocráticas, suponho, apenas no mês seguinte o subsídio é suspenso. A segurança social notifica sempre o cidadão que terá de devolver o valor que recebeu indevidamente. A responsabilidade é de quem? A mensagem que passou é que é de quem recebe a prestação social. Como é óbvio não é assim. Aproveitarem-se desta situação burocrática para fazer mais um pouco de propaganda anti-subsídio de desemprego é baixo e mais uma prova da natureza deste governo.

#Desemprego#propaganda#segurança social#subsídio

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.