Livro – “Os Despojados” de Ursula K. Le Guin

Há vários tipos de livros: livros que entretêm, livros de que gostamos, livros que divertem,  livros que marcam. Em diferentes fases da vida tive, talvez, 3 livros que me marcaram por várias razões. “Os Despojados” (The Dispossessed), de Ursula K. Le Guin (da saga Hainish Cycle), será provavelmente um destes livros (a prova do tempo confirmará ou não essa minha convicção).

Após ter, há pouco tempo, lido um livro sobre uma utopia (distopia?) futurista,Kirinyaga de Mike Resnick, resolvi procurar mais bons exemplos do género, em que a ficção científica se mistura com temas como a filosofia e a política. “Os Despojados” pareceram-me uma boa continuidade.  O primeiro terço do livro é penoso de se ler, facto que terá sido agravado por o ter lido na sua versão original, em inglês. A escrita da autora não é fácil, e o vocabulário é, por vezes, pouco comum. Para além disso, a autora opta por não nos explicar muito sobre o mundo sobre o qual escreve, sobre os personagens e os acontecimentos, apenas à medida que a história lentamente se desenrola começamos a ser elucidados. Se formos leitores persistentes, as restantes páginas do livro são um presente para a mente.

“Os Despojados”, apesar do rótulo de ficção científica, é um livro que trata de utopia, subversão, anarquia, revolução. O que mais me cativou foi a vivência de uma sociedade anarco-sindicalista que vive isolada, num planeta árido, dos seus irmãos capitalistas e comunistas que habitam outro planeta. Em grande parte do livro, entre saltos constantes entre o passado e o futuro, fica patente a ideia de que a revolução é sempre necessária, seja num país capitalista e belicista, seja até num planeta anarco-sindicalista. A ideia da necessidade de uma revolução libertária numa anarquia pode parecer um pouco bizarra, mas é essa uma das grandes conquistas do protagonista do livro que desafia a “ordem” e o poder estabelecidos na sociedade anarco-sindicalista.

E mais não digo. Estas linhas apenas pretendem levantar a ponta do véu sobre este grande romance que utiliza a ficção científica para debater temas bastante reais. Uma saga e uma autora a continuar a ler.


If you want to follow this post leave a comment bellow and continue the thread, or sbscribe the feed. If you don't have a feed reader you may subscribe by e-mail. Click here to sign up.

Trackbacks & Pingbacks

No trackbacks/pingbacks yet.

Comments

Gravatar
Comment by António Manuel Dias 16 de Março de 2014 @ 13:00

O meu livro favorito de uma das duas escritoras que mais gosto de ler (a outra é a Margaret Atwood). Os primeiros quatro parágrafos são, provavelmente, o melhor início de história que alguma vez li. Se quiseres ler mais coisas da Ursula Le Guin, recomendo-te o “The Left Hand of Darkness”, que se passa no mesmo universo, embora num planeta/tempo diferentes, que “Os Despojados”. Se quiseres mudar de universo mas manter o tema, recomendo o “The Eye of the Heron”.

Gravatar
Comment by amrlima 16 de Março de 2014 @ 14:20

Vou sem dúvida ler mais obras de Ursula Le Guin. Ainda não decidi qual mas vou levar em consideração as tuas sugestões :). Por enquanto ainda estou em ressaca deste livro :). Vou dar mais uns dias.

Gravatar
Comment by Air Max 2014 Varisty Red 22 de Agosto de 2014 @ 0:21

The NBA allowed high school stars to make themselves draft eligible up until the 2006 selections, not a good game. what was that,” What we can tell you, He is coming back from a torn meniscus suffered last season. in Madison Square Garden in New York. who were 15-67 under Drew in 2013-14.” The recovery period for George’s injury is expected to keep him out for the coming season for the Indiana Pacers. Kyle Korver and Mason Plumlee were the only other Americans who didn’t play. [.. Krzyzewski sai

Deixe o seu comentário

Line and paragraph breaks automatic, e-mail address never displayed, HTML allowed: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

(obrigatório)

(obrigatório)