Caminho para as legislativas 2015: Apresentação da lista do BE pelo círculo dos Açores

Começou o caminho para as Legislativas.  Cabe-me a mim dar rosto à luta que o BE/Açores trava nas eleições, juntamente com os restantes camaradas da lista: Lúcia Arruda, Paulo Mendes – coordenadores do BE/Açores –, Mário Moniz e Alexandra Manes e tantos outros camaradas que vão estar nesta luta a defender as propostas do BE para o país e para a região.

• • •

Consensos ou escolhas

Desde há algum tempo a esta parte uma das palavras que mais se ouve na política portuguesa é “consenso”. A escolha de palavras encerra nela própria um significado que importa descortinar. “Consenso”, neste contexto, significa unanimidade, ou quase, em torno de algo. Interessante é verificar que a expressão “procurar consensos” é actualmente utilizada pelos partidos do governo, pelo PS e pelo mais acérrimo defensor do “consenso”, Cavaco Silva, normalmente sem se especificar em torno de que assunto(s) deve existir o tal “consenso”. A ausência de um assunto em torno do qual esse consenso é tido como essencial pode significar uma de duas coisas: ou é um discurso oco destinado apenas a passar a ideia de que esses partidos estão a procurar entender-se para, alegadamente, resolverem os problemas do país, o que poderá ser uma reacção à ideia populista de que a discussão e discordância interpartidária são causas da decadência da democracia e por isso um mal a combater; ou que o consenso deve ser atingido em todos os assuntos decisivos para o futuro d@s portugues@s.

• • •

Domingo não deixes tudo na mesma, ousa mudar!

Parece que hoje é o último dia em que se pode apelar a um determinado sentido de voto. É por isso que vou aproveitar para apelar a que, acima de tudo, no Domingo votes! Para não deixar a Democracia morrer é essencial votar e não deixar o país, o teu concelho, a tua freguesia caírem no marasmo de uma Democracia de faz-de-conta. Votar é essencial, sem esse gesto nada certamente mudará e tudo o que está mal, mal ficará. Mas votar não é suficiente. Para mudar a sério é preciso votar diferente e é por isso que apelo ao voto no Bloco de Esquerda no concelho onde vivo, Ponta Delgada e onde sou candidato à Assembleia Municipal. Com o teu voto podemos ter mais força para mudar, para melhor, o concelho. Com o teu voto posso ser eleito à Assembleia Municipal reforçando a presença do BE nesse orgão.

• • •