Dois pontos sobre a Ryanair

Duas notícias desta semana estabeleceram dois pontos que é imperioso ligar. E a ligação chama-se Ryanair. Em primeiro lugar, soubemos que o Governo Regional adjudicou à Ryanair a promoção dos Açores no Reino Unido por um valor que pode chegar a 1,1 ME mais IVA.

• • •

As low cost, a liberalização e a privatização

A Ryanair, campeã das low cost, apresentou lucros de 1,29 mil milhões de euros só no primeiro semestre de 2017. As receitas da companhia aérea fluem, não apenas dos bilhetes vendidos, mas também dos subsídios públicos que recebe, para não falar das “poupanças” que derivam do desrespeito pelos direitos dos seus trabalhadores. As viagens low cost não o são na realidade, são tão bem pagas que chegam para cobrir os custos da operação e ainda gerar lucros bilionários.

• • •

A Privataria regressou aos Açores

Quem vai adquirir 49% do capital social da SATA Azores Airlines? Esta pergunta ainda não tem resposta, mas não há dúvidas que tanto o Governo Regional do Partido Socialista como o maior partido da oposição, o PSD, incluem-se entre os que querem privatizar a SATA Azores Airlines. Se por vezes estes atores políticos parecem discordar, não se iludam, no essencial estão de acordo: os serviços públicos essenciais são para privatizar. Afinal foram estes mesmos que, ao longo das últimas décadas, privatizaram quase tudo o que havia para privatizar neste país, uma verdadeira Privataria.

• • •