Trump, a normalização e os trumpistas

Após a vitória de Donald Trump nas eleições presidencias norte-americanas de novembro de 2016, para além da estupefação, rapidamente se assistiu a um processo de secundarização do seu discurso racista, xenófebo, misógeno, belicista e nacionalista. Paradoxalmente, não foi nos EUA que esse processo foi mais evidente. Desde o dia seguinte à eleição que foram muitos os protestos anti-Trump nos EUA que continuaram até à tomada de posse e após esta. Os media norte-americanos de pendor liberal estão em guerra aberta com Donald Trump. Perderam a batalha da eleição mas parecem não ter aprendido nada com essa derrota pois continuam a ter como estratégia o confronto aberto e altamente parcial, o que pode ter um efeito perverso, uma vez que fornece argumentos a Trump e aos seus seguidores para tentarem descredibilizar os próprios media que o atacam.

• • •